sexta-feira, 8 de outubro de 2010

A INFLUÊNCIA DO ESPAÇO NA EDUCAÇÃO INFANTIL



A estrutura física e a organização do espaço escolar são os primeiros elementos que auxiliam o visitante a formar uma opinião a respeito da política pedagógica da escola. Conceitos como modernidade, tradicionalismo, conservadorismo e religiosidade também são evidentes na imagem visual da instituição. A higiene e profilaxia da escola, o estado dos muros, paredes e grades, são elementos que assinalam ao transeunte o desvelo e a importância que os gestores e corpo docente dedicam à instituição. De acordo com Dayrell
  • A arquitetura e a ocupação do espaço físico não são neutras. Desde a forma de construção até a localização dos espaços, tudo é delimitado formalmente, segundo princípios racionais que expressam uma expectativa de comportamento de seus usuários (...). O espaço arquitetônico da escola expressa uma determinada concepção educativa. (1996, p. 147)
Assim, o espaço físico, definição que substituiremos por espaço-ambiente de aprendizagem, interage com o educar no processo de ensino-aprendizagem. O espaço interno, não deixa de causar maior impressão àqueles que adentram as portas da instituição ou as salas de aprendizagem. Os cartazes e painéis de atividades dos alunos afixados na parede, tão comuns nas instituições de ensino, são extraordinários megafones que gritam ressonantes a concepção de criatividade e autonomia que a escola propicia aos educandos. Este, provavelmente, é o conceito expresso por Malaguzzi ao afirmar a respeito da organização dos espaços da escola deReggio Emilia que “as paredes de nossas pré-escolas falam e documentam” (Apud GANDINI, 1996, p. 155).
Mas o que se entende por “espaço escolar”? Por meio esta expressão compreendemos um ambiente de convivência em que se desenvolvem todas as relações entre o corpo docente e discente, gestores, pais e toda a equipe técnica da instituição. Segundo o quadro a seguir, este espaço pode ser:

Quadro 1 - Qualidade do espaço físico
Positivo
Negativo
Criativo e acolhedor
Monótono e desagregador
Provocador de estímulos visuais e cognitivos
Sem qualquer estímulo visual e cognitivo
Vívido e organizado
Indiferente e desorganizado

O espaço escolar como elemento pedagógico deve refletir a política pedagógica, a filosofia, as concepções de educação e as práticas escolares apropriadas às diferentes idades e níveis de desenvolvimento. 
Mas infelizmente, algumas escolas estão longe desse ideal. O espaço escolar como a área física interna e externa ocupada pela escola, distingui-se, em nossa particular interpretação, do espaço-ambiente de aprendizagem. Podemos afirmar que todo espaço-ambiente de aprendizagem integra a concepção de espaço-escolar ou área física, mas nem todo espaço-escolar é um ambiente de aprendizagem integral. Uma sala de aula pode ser nada mais do que um aglomerado de cadeiras à espera de ocupação. Todavia, um espaço-ambiente de aprendizagem educa pelo olhar, pelos variados estímulos que provocam à curiosidade da criança ou do educando.
Um espaço pode ainda ser definido como uma extensão tridimensional ilimitada, neutro, até mesmo incongruente com os objetivos educacionais. É impessoal. O ambiente, no entanto, transcende ao conceito de espaço; é tudo aquilo que cerca os seres vivos. É dinâmico, vivo, criativo, provocador, estimulante. A linguagem do espaço-escolar é monossêmica, entretanto, do espaço-ambiente de aprendizagem, polissêmica.
Toda sala de aula apresenta um conceito, cuja importância do aluno em algumas delas é apenas secundário. Embora alguns espaços sejam amplos, estão longe da fala de Filippne que aponta o espaço físico, aqui, espaço-ambiente de aprendizagem, “como um ‘container’ que favorece a interação social, a exploração e a aprendizagem” (Apud GANDINI, 1996, p.147). Ela considera o espaço como recurso metodológico, carregado de “conteúdo” educacional que estimule a experiência e a aprendizagem construtiva da criança (veja o vídeo).
Produzido pela TV Escola - E.M.E.I. D.Pedro I - SP
Lembro-me, por ocasião de uma de minhas visitas em escolas de educação infantil, de certa sala de aula que não possuía qualquer estímulo para o aprendizado do alunato. A cortina com temas da Disney impedia que se usasse a parede como elemento instigador da aprendizagem. Um quadro de pregas, estava atrás da mesa da professora, sem que fosse possível identificar o propósito fundante de tal elemento. A sala era própria para proteger da chuva e do sol, mas não da monotonia, da regularidade, do desânimo. Afirma Malaguzzi (1996), entretanto, que o espaço deve ser uma espécie de aquário que espelhe as idéias, os valores, as atitudes e a cultura das pessoas que vivem nele.
Um espaço gélido, como o anteriormente descrito, além da falta de estímulos para uma educação emancipadora, não respeita a criança como sujeito de direito, além de demonstrar o perfil educacional da escola e a desconsideração que possuem pelas suas crianças. Em última instância, reflete o programa educacional adultocêntrico. O banheiro, por exemplo, é este, sem dúvida, um espaço marginal e lúgubre dentro da escola, completamente inadequado para as crianças. Enquanto, na verdade, deveriam ser mais um espaço para estimular a aprendizagem por meio de múltiplos recursos tais como:
  • O uso de espelhos em diferentes formatos para que as crianças brinquem e aprendam com suas imagens em diversos ângulos;
  • Identificações alegres dos sanitários destinados ao uso feminino e masculino;
  • Mensagens de estímulos à higienização das mãos, do espaço como elemento saudável da rotina escolar, entre outros.
Temos ao contrário, quando ao menos se procura adaptar um banheiro, espaços com lavabos que mais parecem mictórios e, o pior, em condições precárias. Ambiente repugnante.
Socorramo-nos com as palavras de Greenmann que, a respeito da concepção do espaço e do ambiente, afirma
  • Um ambiente é um sistema vivo, em transformação. Mais do que espaço físico, inclui o modo como o tempo é estruturado e os papéis que devemos exercer, condicionando o modo como nos sentimos, pensamos e nos comportamos, e afetando dramaticamente a qualidade de nossas vidas. O ambiente funciona contra ou a nosso favor, enquanto conduzimos a nossa vida (Apud. GANDINI, 1996, p.157).
Portanto, como é possível a inserção da criança em um espaço escolar que não a respeita como pessoa de direito? Oliveira afirma que
  • Para alguns professores, a qualidade do ambiente na creche ou pré-escola diz respeito apenas a suas características psicofísicas e/ou higiênicas: arejamento, iluminação, conforto, número de crianças por metro quadrado, relação existente entre mobiliário e equipamentos. No entanto, todo contexto ambiental é um sistema de inter-relações dos vários componentes físicos e humanos que dele participam (1994, p. 194).
Logo, o educador necessita educar o olhar a fim de avaliar criticamente o espaço físico para que este se torne em múltiplos espaços de aprendizagem.
FONTE: http://educarvivereaprender.blogspot.com

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

COMO PREPARAR UMA BOA AULA PARA CRIANÇAS NA EBD?

Ensina a criança no caminho em que deve andar e ainda quando for velho não se desviará dele - Provérbios 22.6

A resposta é: ame-as, e você estará apto a ser um bom mestre!
 Se você tem amor pelas crianças, saberá usar sua criatividade, e realizar atividades condizentes com a idade delas.
 Procure sempre ser alegre nas aulas e tratar a elas com carinho, respeito e consideração. Elas vão retribuir!
Utilize recursos didáticos:

  1. Coros relacionados com o ensino bíblico, de forma a fixar a lição.
  2. Atividades simples (como dobraduras, pintura, pequenos exercícios) 
  3. Ensine oração para as crianças (você fala, elas repetem).
  4. Cartazes e outros recursos visuais 
  5. Memorização do versículo bíblico.

 Quanto ao que ensinar – ensine a Bíblia!
 Observo que não sou contra contar estórias para crianças na EBD (especialmente os pequeninos – abaixo de 5 anos), mas o ideal é relatar e ensinar sempre assuntos diretamente relacionados à história bíblica.
 Comece ensinando Gênesis (a criação, a queda, etc.), seguindo uma seqüência lógica. Em datas especiais (Natal, Páscoa, etc.) ensine a relação do evento com a Bíblia.
 Uma dica preciosa: não se preocupe em ensinar demais, fatos, números, detalhes, etc. Ensine objetivamente, uma coisa de cada vez, reforçando o tema.
 Ore, pedindo sabedoria no ensino. Ame seus alunos, crie um ambiente propício para o aprendizado na classe e você será um (a) bom  (a) professor (a)!

.Texto: Júlio César Zanluca

domingo, 22 de agosto de 2010

Escola Bíblica Dominical - Infantil

  • Instrui o menino no caminho em que deve andar e,quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6)

    Instrua
     Não poderíamos falar em EBD sem tecer alguns comentários sobre a necessidade de se dar maior atenção às nossas crianças, considerando que elas não têm ocupado o lugar que realmente merecem em nossas Igrejas. Todos sabemos que esta é a melhor fase da vida para a aprendizagem, pois o coração da criança é como uma terra fértil, que deve ser cultivada antes que nela seja lançada outra semente. Só assim teremos no futuro uma Igreja forte, cheia de jovens e homens maduros, convictos da salvação e libertos das inúmeras cadeias que escravizam o mundo.

    “Educai as crianças e não será preciso punir os homens”.
    Pesa sobre os nossos ombros a responsabilidade de alcançar as crianças para o Reino de Deus, antes que sejam destruídas pelo pecado. Elas podem ser comparadas aos filhotes de passarinhos que ficam com o biquinho aberto à espera do alimento. Devemos levar-lhes o melhor de todos os alimentos – A Palavra de Deus – para que cresçam em estatura, sabedoria e graça diante do Senhor(I Pedro 2:2).
    Paralelo a essa necessidade vem a importância de possuirmos professores preparados. Criança exige métodos especiais de ensino. Mesmo considerando uma só faixa etária se faz necessário atender às diferenças individuais.
    Exemplo: em um grupo de crianças de 8 anos de idade, nem todas aprendem a mesma coisa no mesmo espaço de tempo. É necessário que o professor conheça individualmente a criança. Mantendo um fichário com os seus dados pessoais para programar suas atividades, visando o aprendizado.

    Finalidades da Escola Bíblica Dominical

    Levar a criança a aceitar a Cristo com Salvador pessoal, fazendo-a conhecer a vontade de Deus para a sua vida.
    Desenvolver na criança hábitos cristãos, baseados na doutrina bíblica e numa vida reta de adoração a Deus.
    Ajudar a criança a crescer espiritualmente através da oração e da leitura da Palavra de Deus.
    Levar a criança a servir a Cristo, incentivando-a a evangelizar, a participar dos trabalhos da Igreja; demonstrando, assim, o seu amor à Cristo, à família e ao próximo.
    Auxiliar a Igreja em seus trabalhos de educação religiosa e moral, no setor da escola bíblica dominical.
    Cooperar com os pais na educação dos filhos.
    Fonte:armazém de idéias
     

terça-feira, 17 de agosto de 2010

A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO DE FUTUROS LÍDERES (PARTE 1)

A EDUCAÇÃO INFANTIL É UM TEMA QUE VEM SENDO ABORDADO COM MUITA ÊNFASE NOS ÚLTIMOS ANOS POR SE TRATAR DO ÍNICIO DA VIDA EDUCACIONAL DA CRIANÇA, A BASE DA CONSTRUÇÃO DO CARÁTER DO SER HUMANO, QUANDO A FORMAÇÃO DE VALORES É INSIRIDA COM MAIOR EFICÁCIA. PORTANTO, DEVE SER TRABALHADO COM MUITA SERIEDADE E COMPROMISSO.

POR MUITO TEMPO A FAMÍLIA O CENTRO DA EDUCAÇÃO DOS FILHOS. DESDE A MAIS TENRA IDADE,AS CRIANÇAS ERAM FORMADAS A PARTIR DO EXEMPLO DE VIDA DIÁRIA DOS PAIS. ASSIM AS MENINAS APRENDIA COM A MÃE OS AFAZERES DOMÉSTICOS E OS FILHOS OBSERVAVAM OS PAIS NOS OFÍCIOS DO TRABALHO. COM A MODERNIDADE, OS VALORES FORAM SE MODIFICANDO E ATÉ MESMO A FAMÍLIA SOFREU INFLUÊNCIAS DE UMA SOCIEDADE MAIS ATIVA E PROMISSORA. AS MULHERES SAÍRAM DE CASA AFIM DE REFORÇAR O ORÇAMENTO DO LAR. COM O RÁPIDO CRESCIMENTO DO CAPITALISMO E SUAS AVASSALADORAS CONSEQUÊNCIAS, A FAMÍLIA ASSUME OUTROS PADRÕES E, UM DELES, É O DA EDUCAÇÃO DAS CRIANÇAS. A ESCOLA, POR SUA VEZ, PASSA A TER IMPORTANTE PAPEL NA EDUCAÇÃO DOS PEQUENOS. NÃO É DIFERENTE COM A IGREJA, POIS, COMO CRISTÃOS, DEVEMOS ACORDAR PARA AS NECESSIDADES EMERGENCIAIS DE SERES TÃO PEQUENOS, MAIS GRANDEMENTE BOMBARDEADOS PELAS INFLUÊNCIAS DE UMA SOCIEDADE EM QUE OS VALORES ESTÃO DISTORCIDOS. DEUS SEMPRE ESTEVE PREOCUPADO COM O FUTURO DE NOSSOS FILHOS E POR ISSO NOS DEIXOU PALAVRAS DE SABEDORIA COMO ESTAS: "E ESTAS PALAVRAS QUE HOJE TE ORDENO ESTARÃO NO TEU CORAÇÃO; E AS INTIMARÁS A TEUS FILHOS E DELAS FALARÁS ASSENTADO EM TUA CASA, E ANDANDO PELO CAMINHO, E DEITANDO-TE, E LEVANTANDO-TE", Dt 6.6-7.

OBS: LOGO MAIS ESTAREI POSTANDO SOBRE: A CONSTRUÇÃO DO INDÍVIDUO. OK

sábado, 7 de agosto de 2010

♥Dicas para congresso♥

Queridos amigos e irmãos em Cristo Jesus,

Existem muitos itens que considero importante na preparação de um congresso infantil, e antes de qualquer dica é necessário à cooperação entre a liderança do grupo e principalmente o apoio e ajuda da igreja e do PASTOR local.

Permita-me explanar alguns Itens importantes baseados em minha experiência com este ministério:

    1.    Objetivos do Congresso

Mais que importante é primordial levantar a questão para nós. QUAL O MOTIVO DESTE CONGRESSO ? Deve-se levantar uma CAMPANHA de oração e intercessão entre a DIRETORIA, pode ser de 15 minutos por dia (ou como queiram que seja) Para que não seja apenas uma "festa". Terá salvação de almas como prioridades (conversão de crianças) dizem de crianças da igreja e até de fora, pois eu aceitei JESUS com 10 anos e eu era filha de PASTOR , mas tive de aceitá-lo. Isto mudou a minha vida. Na verdade estes OBJETIVOS devem ser avaliados por cada integrante da DIRETORIA DO GRUPO e repassado para as crianças para reflexão. como por exemplo: Deus quer operar em nosso congresso, mas não só neste, nos cultos, nas nossas vidas diárias e etc...

    2.    Recursos para a realização do congresso

Para qualquer realização teremos de contar com recursos financeiros, e para tal é importante que o GRUPO tenha um TESOUREIRO (A) e este controle um "CAIXA" com registro e controle de gastos e receitas, e antecipe os recursos, e solicite junto ao PASTOR da igreja ofertas voluntárias de irmãos, já que o GRUPO INFANTIL não dispõe de membros que trabalham como mocidade e outros. Então é importante levantar o máximo de recursos possíveis para investir no evento.

3.      Equipe organizadora

O Grupo Infantil deve  pensar em CONGRESSO e deve ser uma EQUIPE motivada, e unânime entre si. É muito necessário o uso e aplicação do TERMO "planejamento" , a equipe deve ainda ser motivada pelo seu PASTOR LOCAL e pela IGREJA, deve correr atrás das coisas e buscar ajuda em vários recursos. Deve ser espiritual e ter visão de águia. Ver lá na frente os resultados e estar envolvida.

4.    Data do evento

Uma data adequada para a realização do evento, que facilite aos membros e as crianças para a sua participação, dê preferência às datas futuras, para a devida preparação dos demais itens.
     5.    Tema

O tema deve ser algo relacionado à vida aplicada das crianças e depois da igreja, são vários os congressos em que prego que o tema é um pouco distante da realidade de vida das crianças, que um EXEMPLO de como interagir com isso? TEMA: Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos. É um tema? Sim, claro que é, mas qual é a aplicação para as crianças ? É fáceis nós adultos entendermos isso, porém deve-se achar um tema sugestivo. Agora um outro exemplo: MATEUS 24-42 Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Agora sim, é um tema sugestivo. Com outros grupos na igreja é possível à sugestão dos membros, já das crianças é um pouco complicado, pois muitos ainda não são alfabetizados. Então a DIRETORIA deve orar a DEUS e trocar idéias entre si de temas sugestivos.


    6.    Pregador (es)

Outro fator importante, na verdade sempre desejo convidar alguém que PREGUE para as crianças e traga a igreja também uma mensagem com a mesma direção. O que vemos é de fato um pregador ser convidado para crianças e prega para a igreja e as crianças ficam "boiando" por favor, eles esperam o ano todo para esse evento, aí vem alguém e prega para os adultos? Muito cuidado na escolha, deve-se conhecer a pessoa, ou pelo menos ter indicações a respeito dela. E sempre ter o aval do PASTOR LOCAL e consultá-lo antes.

    7.    Cantor (es)

Cantor é outro item importante, devem-se perceber os "talentos da casa" pois bem ao nosso derredor eles estão presentes. Dê preferência para cantores infantis ou pré-adolescentes, pois já que a festa é da criançada mesmo.

    8.    Uniformes

Este é o que mais me arrepia, (rsrsr) na verdade deve-se começar a programação com muita antecedência, eu aconselho programar de no mínimo de 03 a 06 meses, pois assim você pode ir programando o PARCELAMENTO do valor com os pais, cobrar a vista pode trazer transtornos para eles, então facilite. Lembrando que com 03 meses de antecedência você pode programar por exemplo: 01 mês para reuniões com os pais, e acordo de preços, cor, tipos e tamanhos e para tirar as medidas e os outros dois meses para a confecção do uniforme e recebimento das duas parcelas.

    9.    Decoração da igreja

A decoração dependendo da igreja, pode ser feita pelas "TIAS" e os jovens. Com recursos, na compra de BALOES, confecção de materiais de E.V.A. e etc. É muito sugestivo entre as TIAS , pois criatividade é o que não vai faltar. Uns detalhes importantes, cuidados com os balões na igreja, para que se o palestrante for usar algum recurso visual (Retro e cartazes) que não atrapalhem as crianças de vê-los, pois às vezes são colocados no meio da igreja e no fim pode atrapalhar, use as laterais, a entrada e etc...

10       Organização da programação em geral.

Enfim, para se ter um bom CONGRESSO deve ser ter uma EQUIPE motivada, e unânime entre si. É muito necessário o uso e aplicação do TERMO "planejamento" por isso se você tem interesse em fazer um congresso, repense nos OBJETIVOS acima citados, e OREM A DEUS e  busquem objetivos espirituais como, salvação, mover de DEUS, e principalmente, louvor e gratidão a DEUS.

EQUIPE TIAPRI.COM

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

♥TREINAMENTO DE PROFESSORES DA ESCOLA BÍBLICA INFANTIL♥



Provérbios 22: 6 Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.


Objetivos da EBD Infantil:


A EBD infantil existe para ENSINAR a criança no caminho em que deve andar, ou seja, na presença de Deus. É o momento onde se aprende a orar, a cantar, a conviver em grupo com outras crianças, e também é o momento onde APRENDEM a Palavra de Deus, numa linguagem simples, porém com sabedoria.


O preparo dos professores:


Assim como em qualquer escola secular, os professores devem sempre estar muito bem preparados para o ensino bíblico. Geralmente a criança é muito curiosa, e por certo, lhe fará perguntas que pode levar o professor despreparado a um sentimento de “vergonha”, causando assim uma impressão ruim para a classe. Porém, o professor não tem a obrigação de saber tudo. No entanto, deve usar de sabedoria para esta ocasião, dizendo que vai pesquisar e no próximo encontro lhe dará a resposta.
O professor deve buscar ter bastante conhecimento da lição que será ensinada. Se possível não fique apenas na leitura do material utilizado, busque outras traduções bíblicas, outras referências, que lhe ajudarão muito no desenrolar da história. Ter uma Bíblia na Linguagem de Hoje, seria muito sábio da parte dos professores, pois a leitura nunca deve ser feita de maneira complicada e sim com palavras conhecidas destes pequeninos.


O professor deve ser preparado não apenas no conhecimento bíblico, mas em primeiro lugar deve ter sua vida no altar de Deus. Precisa manter um bom testemunho dentro e fora de casa. Precisa manter uma vida de oração, consagração e separação do pecado. O preparo na vida no professor começa de dentro para a fora!


Preparando a lição:


Conhecendo bem a história bíblica, o professor não terá a necessidade de estar lendo no livro ou na Bíblia, e sim, apenas mostrando a figura da história, e fazendo gestos, “caras e bocas”, trará a atenção das crianças para si, e elas absorverão maiores detalhes.
Conhecendo bem a história bíblica, o professor terá a liberdade de olhar diretamente nos olhos das crianças, e fazer com que elas participem da história, isso ajudará a memorizar a Palavra de Deus.


O conhecimento da história bíblica, não virá de uma leitura simples apenas. O professor deve dedicar tempo lendo uma e outra vez, orando para que o Espírito Santo lhe revele algo novo e edificante para as crianças através da história. Leia a história bíblica todos os dias até o dia em que for ensiná-la. Isso fará com que o professor memorize bem o texto, sem medo de errar.


Um professor bem preparado se nota de longe. Sua bíblia é anotada. Possui apontamentos em seu caderno. Preocupa-se com tudo o que vai acontecer durante a história: Movimentos, palavras, olhares, expressão, etc.


Cabe ao professor, preparar os desenhos para pintura, recortes ou colagens, tudo feito antecipadamente e com capricho. Nada de deixar para última hora e fazer de maneira relaxada. Todo desenho deve ser sem muitos detalhes (dependendo da idade). As crianças merecem um cuidado todo especial e portanto, cada detalhe valerá por estes pequeninos. (Quando notar que o material está terminando, avise o líder, não deixe em cima da hora)


O professor bem preparado, aprende músicas sobre as histórias bíblicas. Ele não espera que outros o façam, ele mesmo se encarrega de conhecer e aprender “musiquinhas” de criança para ensinar juntamente com a lição. (musica infantil deve ser curta e com palavras fáceis de pronunciar)


Cabe ao professor, facilitar a memorização do versículo bíblico chave da lição. Isso deve ser feito na linguagem simples para que todos possam memorizar na mente e no coração.


Chegou a hora de Ensinar:


Este é o momento mais esperado pelas crianças. O momento do Culto Infantil. 


Tudo já deve estar preparado: classe arrumada, limpa, objetos no lugar, versículo de memorização em letras grandes e lugar visível. Material para atividade após a história bíblica já deve estar em seu devido lugar. Se for utilizar CD para musica, já deixe preparado de antemão.


Com um sorriso nos lábios, e um abraço amigo, cumprimente cada criança ao entrar na sala.
Chame-as pelo nome, se não conhece o nome delas utilize um crachá bem criativo para todas as crianças. Não as chame por apelido, e sim pelo nome.
Coloque cada criança em seu devido lugar, separando as que gostam de conversar.
Com um: “Boa Noite, a paz do Senhor”, faça uma oração com palavras simples, voz audível, e não muito longa para iniciar o Culto Infantil.
Faça a chamada, colocando os nomes das crianças no quadro de freqüência. Não esqueça os visitantes. Elogie aquele que trouxe o visitante e incentive os demais a fazerem o mesmo no próximo Culto.
Pergunte como foi a semana de cada um. Pergunte se alguém recebeu uma benção de Deus especial e deixa-a contar. Cuidado para não tomar muito tempo.


Comece anunciando o tema da história de hoje:
Por exemplo: Hoje vamos aprender sobre uma grande pescaria!
- Alguém já pescou alguma vez? Peixe grande ou pequeno? Foi fácil pescar? (perguntas simples para que eles comecem a participar)
Segure a figura da história o tempo todo diante dos olhos das crianças. Não esconda seu rosto. Você deve estar sempre olhando nos olhos de cada um. Conte a história com bastante entusiasmo. Mude a voz se for preciso (caso tenha um diálogo por exemplo). Mantenha a altura da sua voz.
No desenrolar da história, faça perguntas do tipo:
- Quem eram mesmo que estava no barco? (Pedro e Tiago)
- O que aconteceu quando Jesus pediu para jogar a rede novamente? (obedeceram)
Faça as perguntas fazendo “caras e bocas”, incentivando-as a responder. Caso responda errado, vc deve ensiná-las com amor.
A moral desta história pode ser que: somos pescadores de almas, e portanto, devo convidar meus amigos para virem à igreja comigo! (Vc poderá fazer um peixinho-convite, e cada criança levará para convidar outra criança para o próximo culto).
Geralmente histórias longas farão com que as crianças desviam a atenção. Portanto, procure preparar bem a lição, para no desenrolar da história frisar apenas os aspectos de maior importância para o momento.


Peça que as crianças tragam uma bíblia, mesmo que elas não saibam ler. Assim elas se acostumarão a trazer a Bíblia na Casa de Deus. Use de estratégia: Quem trouxer a Bíblia no próximo culto, ganhará uma surpresa (que pode ser um pacotinho de pipoca). Para crianças que estão em dois ou três irmãos, vale uma Bíblia apenas.Para memorizar o versículo bíblico, leve-os a repetir por pelo menos 3 vezes em voz alta.Cantando:Toda música para crianças deve ser de linguagem fácil e curta. Musicas longas tendem a ser enjoativas, e geralmente eles não assimilam palavras inteiras.Cabe ao professor, conhecer bem a musica a ser ensinada. Ensaie em casa. Aprenda a letra. Invente gestos. Faça caras e bocas se for preciso, isso ajudará a que todos deixem de ser tímidos e louvem ao Senhor.Cabe ao professor, preparar de antemão um aparelho de som, ou rádio-gravador, caso seja utilizado um CD. Vergonha e timidez na frente das crianças não funcionará. Portanto, se vc é tímido (a) ore ao Senhor para que faça de vc uma pessoa livre para ensinar com excelência. As crianças notam com facilidade quando vc está inseguro (a) ou tímido (a). Isso é prejudicial ao ensino.Atividades:Cabe ao professor preparar a folha de atividades para cada história a ser aprendida.O desenho deve sempre estar relacionado com a história.O desenho deve ser grande e sem muitos detalhes.Tenha sempre folhas o suficiente para todas as crianças.Coloque sempre o nome da criança, e a data. (Estas folhas, irão para a pasta individual de cada criança para as reuniões com os pais).Distribua as folhas, o lápis de cor, (ou giz de cera, etc.).Ao som da musica aprendida nesta noite, eles estarão pintando o desenho.Recolha as folhas para guardá-las em suas devidas pastas.IMPORTANTE:Cada professor é responsável pelo material utilizado com as crianças. Cada professor deve ter o seu e deve ser suficiente. (Lápis de cor, giz de cera, massinha, sulfite, lápis preto, apontador, etc.). Todo material deve estar devidamente guardado em caixas decoradas. Não se esqueça: vc está trabalhando com crianças.Terminando:Ao encerrar o Culto Infantil, peça que o “Ajudante do Dia”, recolha as folhas e o material utilizado (Lápis de cor, por exemplo). Agradeça a criança!Caso vc tenha entregado o crachá, também devem ser recolhidos.Coloque todos de pé, de mãos dadas, e pergunte se alguém tem algum pedido especial para apresentar ao Senhor. Com palavras simples faça a oração. Agradeça a presença de todos. Faça uma fila para levá-los de volta a igreja. Oriente-os a que não entrem correndo e sim em ordem.Retire os nomes do “Quadro de Presença”, guarde-os. Deixe a classe arrumada. Não se esqueça de fechar a porta.
Fonte: TIAPRI.COM

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Professora de crianças, recreadora, babá, o que sou ???

Neste início de século, nos deparamos com um dilema bem antigo e ao mesmo tempo tão atual. Ministério com crianças na igreja. O professor da escola Bíblica Dominical ou a tia do cultinho, ou a mãe que ajuda a cuidar das crianças durante o culto. "Alguém" para "cuidar" das "crianças". Quantos professores e em tantas igrejas, não sabem ao certo o que são, porque estão exercendo tal função, ou quem me chamou para estar ali?
A alta rotatividade de professores nas extensas escalas semanais, a desistência inesperada de muitos professores, o abandono da classe de repente, o desânimo constante, a auto valorização deteriorada, o desespero da liderança infantil, nos indica que algo não vai muito bem.
Porque a grande maioria dos cristãos e muitos líderes das igrejas evangélicas não acreditam que para o trabalho com crianças é necessário ser chamado, capacitado e ungido por Deus para esta obra.
Não ouvimos claramente, mas as ações nos revelam tal descaso com a vida dos pequeninos em nossas igrejas atualmente, não há preparo dos professores, não há investimento na liderança e professores do ministério infantil, ou seja, o evangelismo, o ensino e discipulado com crianças atualmente não é levado a sério, não anda em sintonia com a vontade e o coração do Pai. 
Quem trabalha com crianças na igreja ou em qualquer outro lugar, primeiramente necessita de um queimar no seu coração pois é chamado por Cristo para este ministério. Não é uma ocupação domingueira, não é uma falta de opção e sim um compromisso com vidas infantis, um ministro de Deus para pastorear e formar espiritualmente esta geração. Tenho presenciado o descaso com este ministério nestes dias, o coração de Deus está dolorido de ver tantas crianças sofrendo , famintas dentro e fora de muitas igrejas, não estão nas mãos de servos compromissados, preparados e chamados por Deus para este ministério.
É preciso urgentemente resgatar o chamado para esta obra, creio que você já ouviu algumas destas frases:
"Estamos precisando de irmãos para ajudar com as crianças".
"Alguém pode ajudar pelo menos uma vez no mês, com as crianças"? 
"Eu ainda não sei qual o meu chamado, por enquanto sou professora de crianças".
"Só entro na escala mensal, não posso "perder" o culto!
"Somos poucos ninguém quer "ficar com as crianças".
"Se você não tem nada para fazer na igreja, venha ajudar a "cuidar" das crianças".
Abramos o nosso coração para receber de Deus o verdadeiro chamado ministerial com crianças, Deus está a procura de servos e servas dispostos a cumprir com amor e seriedade este chamado, que para Deus, não é inferior a qualquer outro ministério, pelo contrário, quem não se tornar como um destes pequeninos , não entrará no Reino dos céus, eis a nossa referência, as crianças são preciosas para Deus, não serve qualquer um para ser ministro na vida dos seus pequeninos, tem que ser um ungido do Senhor. 
Autoria: Claudia Guimarães

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Alfabeto do Professor

Professor...

A me seus alunos
B endiga sua profissão
C reia no poder da educação
D iscipline sua classe
E duque pelo exemplo
F irme-se em Deus
G aranta um mundo cada vez melhor
H onre a missão do mestre
I nstrua com sabedoria
J ulgue-se antes de julgar seus alunos
L eia os grandes educadores
M edite sobre os conselhos dos grandes mestres
eutralize os rumores pessimistas
O rgulhe-se de ser mestre
P ersiste na verdade
Q ueira o melhor para seus alunos
R espeite seus educandos para ser respeitado
S orria. Sorrindo, ilumine sua sala de aula
T rabalhe com amor
U nifique seus alunos
V ença pela fé
X ?
Z ele com carinho por todos estes cuidados e descubra por si mesmoo X do GRANDE MESTRE .
# Mayara#

 
Template designed using CRIANDO LAYOUTS