segunda-feira, 6 de junho de 2011

DE CRIANÇAS SIM, E É MINISTÉRIO

“Ajuntai o povo, os homens, as mulheres, os meninos e o estrangeiro que está dentro da vossa cidade, para que ouçam, e aprendam, e temam o SENHOR, vosso Deus, e cuidem de cumprir todas as palavras desta lei; para que seus filhos que não a souberem ouçam e aprendam a temer o SENHOR, vosso Deus, todos os dias que viverdes sobre a terra à qual ides, passando o Jordão, para a possuir.” DT 31:12,13.

Salinha, cultinho, inho... nada me irrita mais do que estes termos, não pelo tom carinhoso, mas pelo desprezo que eles vem carregando durante os anos. Trabalhar com crianças é um ministério. Somos chamados, capacitados por Deus para tal. Já posso até imaginar seu pensamento: “_ Opa! Então estou fora, não tenho esse dom para ministrar às crianças!” Só que “Deus não chama os capacitados, mas capacita os chamados.” Se você é pai ou mãe, já foi chamado para este ministério, pois ele começa em seu lar. Se não, procure saber onde Deus lhe quer, qual é seu lugar no Corpo de Cristo. Estou torcendo para ser com as crianças, pois é muito frutífero!

O trabalho com crianças é um ministério específico de cuidado, de apascentar como disse o próprio Jesus quando se referia aos cordeiros, que são os filhotes de ovelhas. “Disse Jesus: Apascente os meus cordeiros” João 21:15. Os professores apascentadores de crianças se dedicam a ajudar aos pais a ensinarem seus filhotes no caminho em que devem andar, para quando crescerem não se desviarem dele. Segundo o dicionário de Aurélio, apascentar significa: doutrinar, ensinar, guiar, pastorear. Nutrir, alimentar, sustentar. Recrear, deleitar, entreter. Aurélio nos dá muitas opções com as crianças!

Nas classes bíblicas da igreja espera-se que as crianças aprendam verdades Bíblicas, e que sejam ensinadas de acordo com suas necessidades e características próprias da idade. Os pais são beneficiados através deste ministério, pois podem participar mais ativamente do culto, enquanto suas crianças aprendem em sua própria classe. Mas atenção! Não vamos confundir os papéis, aos pais cabe a responsabilidade de educar e ensinar a criança a andar nos caminhos do Senhor Jesus. “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te” (DT 6:6, 7). “E vós, pais, não provoqueis vossos filhos à ira, mas criai-os na disciplina e na admoestação do Senhor” (EF 6:4).

A principal função do professor, é servir de modelo para seus alunos - seus discípulos, (Mateus 28: 19,20; Atos 1:8). Pois “o veículo do ensino mais poderoso, é a pessoa humana, que vive o que prega” (CECED). Se você está disposto a servir o Senhor neste ministério, então pode ser um apascentador de crianças, ou seja, pastorear os cordeiros (filhotes de ovelhas). As crianças precisam ter uma referência, por isto, o rodízio de professores não é benéfico. Cada classe precisa de alguém responsável, ou uma dupla, para cuidar e apascentar cada faixa etária, com suas características e necessidades específicas. Assim, estes obreiros serão os apascentadores destes pequeninos, cumprindo a ordem de Jesus em Jo 21.15.
O professor é um ajudador para os pais na tarefa da educação cristã, que é a mais importante de todas. Ensinar uma criança a andar nos caminhos do Deus verdadeiro deve ser prioridade na vida dos pais cristãos. Deve ser mais importante que carreira, status, estudo ou qualquer outra coisa. Nosso alvo deve ser: Criar a imagem de Jesus Cristo em nossas crianças, nossos discípulos.
A igreja que valoriza e respeita as crianças, demonstra isto através do espaço e investimento que dedica a elas. Envolva-as na igreja de Jesus Cristo antes que o mundo as envolva em seu sistema satânico.

Objetivos e propósitos
O principal objetivo do ministério com crianças é ensinar a Palavra de Deus, a Bíblia, tendo Jesus como ponto principal do seu ensino, visando a salvação e o crescimento espiritual do aluno, desde criança até adulto. Através deste ensino, transformar a vida da criança. Vida esta, que deve expressar no meio em que vive, a fim de levar Cristo a outros, visando o crescimento do Reino de Deus.
Tenho utilizado os seguintes alvos para o ministério com crianças:

Alvos para o ministério com crianças
-Que as crianças tenham uma experiência real e pessoal com seu amigo e salvador Jesus, dentro dos limites do seu desenvolvimento.

-Que o ambiente da escola bíblica seja cheio de atrativos. Um recanto alegre, seguro e divertido, onde aprendam fazendo, tendo assim, motivação para boa freqüência.

-Que as crianças aprendam a Palavra de Deus por princípios, enfatizando vida abundante e transformadora.

-Motivar a criança a assumir compromisso com o que aprendeu, aplicando isso em seu dia a dia, abrangente a todas as áreas de sua vida.

Resumindo: salvação, crescimento e serviço.


Estes são alvos que devemos perseguir sempre, em unidade, pensando no melhor para as crianças. Acrescente a estes alvos específicos de acordo com as necessidades e realidade de sua igreja. E se fizermos com amor, da melhor maneira possível, o senhor nosso Deus nos dará a devida recompensa. “Portanto meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que, no Senhor o vosso trabalho não é vão”. 1 Co 15.58.

Nossas igrejas devem ser motivadas a e investir no ministério com crianças, pois os resultados são eternos. É necessário que avaliemos nossas prioridades, nossos alvos , nossos métodos e nossos preconceitos. Precisamos começar nossa reflexão sobre a educação cristã infantil com base no ensino eficiente. Precisamos ver o bom - avaliá-lo e ver se não é possível melhorá-lo. Devemos fazer um exame minucioso em nosso processo didático de atividades e se necessário, mudanças, para que possamos alcançar nossas metas e nosso alvo principal: formar o caráter de Jesus nas crianças, nossos discípulos.

Para alcançarmos o propósito de ter uma escola bíblica com qualidade e unção, precisamos fortalecer os relacionamentos, trabalhando com simplicidade, caráter, unção, buscando capacitação contínua, transparência, criatividade, coragem e amor... Muito amor! Eis o desafio de todos nós, educadores, ministros da Palavra de Deus.

As dificuldades e desafios virão, com certeza! Diante delas é preciso humildade para reconhecer nossas limitações, e coragem para vencer obstáculos. O conflito é nossa matéria prima. Cabe-nos transformá-los em vitórias. É isto que nos ensinou o Mestre dos mestres. Ao longo do ministério de Jesus Cristo as pessoas o reconheciam como mestre, capaz de transformar água em vinho, tristezas em alegrias, doenças em glórias para Deus... Jesus passou a maior parte de seu ministério ensinando verdades espirituais e curando as pessoas de seus males. Quão grande privilégio é poder seguir os passos de nosso Senhor Jesus!

Ser mestre é seguir investindo no Reino de Deus, acreditando e valorizando as pessoas. Ser professor é ser modelo, exemplo de vida. É dedicar-se ao máximo no ensino. É ver a transformação que a Palavra de Deus efetua na vida das pessoas que a recebem, promovendo felicidade! Ser discipulador é amar as sagradas escrituras, assim como Esdras, dar-se por ela em amor ao próximo, para que o mundo veja que somos discípulos de Jesus. É se lançar como instrumento de Deus, para transformar as vidas de crianças, jovens e adultos.
Ser professor é ser privilegiado. A recompensa é certa! “Quem obedecer à lei e ensinar os outros a fazerem o mesmo será grande no Reino dos Céus”. Mt 5.9 (BLH).
http://tiaviviministerioinfantil.blogspot.com

A Criança e a Sua Vida Rica em Ensinamentos.


Observar uma criança pode ser mais rico e compensador para sua vida do que qualquer experiência ou programa de Auto-conhecimento.
Existem professores treinados em psicologia que sabem tudo da natureza humana e mesmo assim pouco tem a nos dizer. Uma criança, não sabe nada, e mesmo assim sua vida é o ensinamento mais rico do mundo.
Para a criança cada dia é diferente do outro. Ou seja, a dia anterior foi o dia anterior e não faz mais parte do seu passado. O novo dia é tudo o que lhe importa.
Do dia anterior a única coisa que ela traz é o que aprendeu e mesmo assim não sabe disso. Quer dizer ela não sabe que aprendeu antes como enfrentar uma situação nova do novo dia que surge a sua frente. Ela apenas enfrenta a nova situação, como se realmente fosse nova e dedica a ela toda sua energia e experiência acumulada.
Os erros que ela cometeu no dia anterior, ela não lembra mais. Mas agora ela já sabe o que é errado, só não lembra onde aprendeu isso. Se lembra, não dá importância a isso. O importante é que ela já sabe como não deve fazer uma coisa que fez errado antes.
No processo da descoberta de como resolver uma coisa, há imersão total. Todo o seu ser vai estar envolvido na solução daquele problema. Ela não consegue deixar para resolver depois, precisa solucionar logo aquele empecilho. Como ela não esquece, ela própria passa a fazer parte do problema. Assim o problema acaba fazendo parte dela e não sendo uma coisa separada. Sendo ela em si o problema, e como ela passa a viver 24 horas por dia com aquele problema, logo ela o compreende e assim ele, o problema, deixa de existir. Solucionado o problema, ela imediatamente o descarta da sua vida. Ou seja, aquilo não será mais visto por ela como problema, não importa quantas vezes mais ela o encontre daí pra frente.
Na busca de uma solução, como ela não tem conhecimentos sofisticados e a capacidade de complicar, suas soluções são as mais simples e diretas possíveis.
Ela costuma, baseada num problema encontrado, brincar com o problema durante sua busca de uma solução.
Então, problema para uma criança, na maioria das vezes, não são problemas de fato, são uma necessidade básica de aprendizado e motivação. Ambientes que não ofereçam desafios e problemas, não tem a menor graça para elas. Ou seja, problema para elas é quase como se fosse diversão pura.
No processo de busca de uma solução, ela desiste milhares de vezes, tenta milhares de vezes, mas desistir de verdade, isso ela nunca faz.
Um novo dia para uma criança, é de fato um novo dia. Esse novo dia não faz parte do dia anterior. É comum as crianças, brincarem com seus velhos brinquedos como se nunca os tivesse visto antes.
Pessimismo para uma criança é, ver a mãe ou o pai triste, irmão, amigo ou outra criança doente, adultos com problemas que fazem questão de externá-los na sua presença. Otimismo para uma criança é, ver um adulto com problemas sorrindo, outra criança doente sorrindo, pessoas da família tristes mas sorrindo. No seu mundo, existem apenas dois tipos de problemas, aqueles que devem ser enfrentados não importa a situação daquele momento e aqueles que devem ser esquecidos se não são importantes naquele momento.
Uma criança quando fica ou está doente, não sabe que ficar doente é ruim. Ela sente os efeitos físicos da doença, mas ela planeja seu futuro como se não existisse obstáculo algum à sua frente. Ela planeja seu dia seguinte como se nada estivesse acontecendo. Não desanima em momento algum, sabe na sua simplicidade psicológica que doença e saúde não estão separadas, tudo é uma coisa só. É muito importante notar que ela nunca diz: "Se eu ficar boa...", e sim "Amanhã quando eu melhorar eu vou fazer isso e aquilo...". Também ela ainda não teve tempo de desenvolver o apego às coisas, assim medo e insegurança não existe em seu mundo simples. Seu mundo se resume a duas coisas; O dia que ela está disposta para brincar e o dia que não está. Desse modo ela não vê doença e saúde como coisas distintas.
Uma criança tem a capacidade excepcional de guardar para sempre os bons momentos e usá-los como experiência pelo resto de sua. Tem também a capacidade de guardar para sempre os maus momentos e usá-los como experiência pelo resto de sua vida. Tem também a capacidade de não Ter saudade ou lembrança mórbida nem de bons nem de maus momentos.
Ela não conta os dias que já viveu ou ainda vai viver. Isso não tem a menor importância. Como ela não baseia sua vida nisso, quer aprender sempre e todos os dias. Ela sequer sabe o que vai fazer com o que aprende ou vai aprender, simplesmente ela quer aprender mais e mais. Se ela vai Ter tempo para usar o que está aprendendo ou vai aprender, não faz parte do seu pensamento. Viver para ela é uma coisa muito simples. Ela pensa, amanhã eu faço de novo. Nunca diz, amanhã eu tento de novo, ou diz, será que isso vai dar certo amanhã..?. Incerteza para ela é só uma palavra cujo significado ele desconhece. Fazer, não fazer, tentar e tentar mais, para ela é a mesma coisa.
O dia para uma criança, não tem o limite de oito ou vinte e quatro horas. Para uma criança o tempo cronológico não existe. Para uma criança o ano todo é igual a um dia. Noite e dia é a mesma coisa. A diferença é que uma parte é clara e tem sol e a outra não. Apenas o tempo psicológico faz parte de sua vida. E tempo psicológico não trabalha dentro dos ponteiros de um relógio. O tempo psicológico é toda sua vida naquele único minuto ou instante.
http://tiaviviministerioinfantil.blogspot.com

AULAS CRIATIVAS PARA ESCOLA DOMINICAL


MATEUS 28.19-20
ENSINAR NÃO FOI UM PEDIDO FOI UMA ORDEM!
JESUS NÃO DISSE: SE VOCE QUISER, SE LEVAR JEITO, SE TIVER TEMPO, SE GOSTAR...  A ultima ordem de Jesus deveria ser nossa primeira ocupação.
O ‘ide’ é para todos. E toda criatura, inclui as crianças. (marcos 16.15)
Nem todos serão professores de escolinha, mas todos tem que evangelizar e mais cedo ou mais tarde haverá crianças no seu caminho esperando para ouvir sobre o amor de Deus...


MARCOS 10.13-14
‘DEIXAI VIR A MIM OS PEQUENINOS E NÃO OS IMPESSAIS’ SABE O QUE ACHO MAIS INTERESSANTE? É QUE QUEM OS IMPEDIAM ERAM OS PRÓPRIOS DÍSCIPULOS...
Hoje não tem sido diferente em muitas igrejas. O mundo lá fora e até muitas seitas já descobriram nas crianças um campo fértil! Mas nós as temos afastado de Jesus.


QUANDO? Quando não lhes damos valor. Quando nossa escolinha é feia, suja, desorganizada, com lixo que chamamos de brinquedos,quando não há professores preparados,quando não há pregação ou ensino verdadeiro. só o velho: você finge que ensina e eu finjo que aprendo...
Por exemplo: se sou professora de piano, dou aula por um ano, mas quando meu aluno vai se apresentar não toca nada, é porque não aprendeu... Logo não houve nenhum ensino! Só terei realmente ensinado se houver aprendizado, caso contrario não ensinei, só tentei... (ou nem isso)

MUITOS SÃO LIGEIROS EM APONTAR PROBLEMAS ( MAS NÃO AS CAUSAS...)
*as crianças não prestam atenção
*faltam muito
*não param de falar
*não obedecem
*não me entendem
*e por ai vai...

MAS PENSE UM POUCO NA VISÃO DO ALUNO (e seja sincero)
Você assistiria uma aula sua? Como tem sido suas aulas?Aquela maravilhosa mesmice de todo dia... sempre na mesma ordem, no mesmo tom de voz;cheia de palavras tão difíceis que até facilita a gente de não entender, monótona, repetitiva...
...Não sei onde ouvi esta história, mas é bem interessante:
Uma vez um pregador notou que todo domingo ele começava a pregar e dali 15 min.o povo começava a dormir, isso se repetia todo domingo, ele então resolveu gravar o culto, porque uma pessoa dormir, ainda vai, mas tanta gente? Só podia ter algo errado!
Bom, levou o vídeo pra casa começou a assistir, dali 15 min....ele estava roncando...
SOLUÇÃO:

Mesmice se vence com criatividade!!! PORQUE VOCÊ NÃO IRÁ CONSEGUIR RESULTADOS DIFERENTES FAZENDO A MESMA COISA! ENTÃO MUDE!!  Ache um jeito novo de falar do mesmo assunto. ache uma maneira criativa de contar a mesma historia...
IDÉIAS

Nunca gostei quando me dizem que tenho que fazer algo, mas não me dizem ‘como’. O que adianta uma pessoa ir ao médico,ter o problema diagnosticado mas sair sem a receita? Então vou dividir com vocês o que tem dado resultados. coisas que podem ser usadas em qualquer aula e sobre qualquer assunto e são simples de se fazer...

Quando vamos falar com crianças a primeira coisa de que precisamos é ganhar sua atenção inicial, senão a aula estará perdida.
Diferente dos adultos elas são comunicativas, todas se conhecem, e quando não, fazem questão de se conhecer e saber das novidades, por isso é preciso fazer algo que desperte sua atenção para nós...


*USANDO OBJETOS:
 –numa sala lotada ao iniciar a aula abri uma sombrinha e coloquei na cabeça. Pronto! Todos estavam olhando pra mim... mas é claro que tinha haver com o assunto. Perguntei pra que servia:’pra se proteger da chuva tia!’ Ai, como sou cheia de histórias, contei uma minha: ”quando eu era pequena, voltava da escola e o céu escureceu como noite! Eu via meu ponto de ônibus e pensei em correr até lá, mas é claro que como sempre não deu tempo e cheguei lá ensopada... quando abri a bolsa pra pagar, qual minha surpresa? Eu tinha um guarda chuva! Fiquei com tanto medo de me molhar que esqueci que estava comigo... às vezes fazemos assim com Deus, na hora do medo esquecemos que Ele está conosco... sempre pronto para nos proteger” (Isaias 43.1).
Cada um escreveu seu medo num papel, oramos e rasgaram na lixeira. (leia antes ,tem coisa que não é medo, mas caso de polícia)

Você pode usar qualquer objeto, desde que tenha haver com a aula. outro exemplo:use escova de dente,toalha de banho,pente...pergunte quem usa isso,e se é só no domingo...fale sobre que se santificar também é todo dia
Enfim, use objetos...

*PERGUNTAS CURIOSAS:
‘ quem aqui já foi pescar?’, ’quem sabe o que tenho aqui nesta caixa?’, ’quem sabe pra quê isto serve?’, ’quem já usou isso?’ Eles são curiosos e gostam de dar respostas... isso desperta o interesse.(como já disse antes, tem que ser de acordo com o que for ensinar senão de nada serve)

*MUDANDO A SALA:
- isso cria a expectativa de “o que será que vai acontecer aqui?” Mude a frente com o fundo, faça um círculo de cadeiras, deixe só um tapete, mas lembre-se! Eles esperam algo novo, então não os decepcione!!!
*MUDANDO A ORDEM DOS ACONTECIMENTOS:
 de vez em quando mude um pouco, dê coisas fora da programação, mude a hora da oferta com a da atividade,a hora da historia com o louvor...

*USANDO ILUSTRAÇÕES:
toda criança gosta de uma boa historia. ela é um dos meios mais eficientes de ensino, o método que Jesus, o maior mestre,usava ao ensinar. Conte histórias que ajudem as crianças a entender melhor o assunto, ou historias sobre quando você era pequeno...

*COMPLETE A FRASE:
coloque parte da palavra na lousa, pode ser o nome do personagem, da história, do assunto; e ao começar a aula pergunte quem sabe completar, vá dando dicas: ZA... ele era baixinho,queria ver Jesus, subiu em uma arvore, etc. (Zaqueu)

*AVALIANDO:
escreva algo na lousa para responderem na entrada: ’Jesus pra mim é... ’e deixe cada um escrever o que pensa, assim você vai saber o que eles tem aprendido.

*MÚSICAS:
escolha ‘uma’ sobre o que você vai ensinar, deixe-os ouvir (ou assistir no dvd) depois peça para escreverem ou desenharem o que entenderam. você também pode entregar a letra por escrito ou escrever na lousa.

*VÍDEO:
mas não use o vídeo como pretexto  para não dar aula e não se preparar. Não vá colocar de uma só vez toda coleção do midinho...escolha sempre ‘um’só tema para não confundir a criança, e assista “antes” delas , prepare uma atividade, sempre de acordo, se preciso dê pausas para explicações...lembre-se que não fomos chamados para distrai-las, mas para ‘ensiná-las!” (também existem dvd‘s do autor Max Lucado com desenhos infantis, como: você é especial e se eu tivesse um nariz verde, entre outros, são muito bons.)

*VISUAIS:
mesmo com os maiores isso chama a atenção, desenhe partes da historia e vá colando ou mostrando enquanto conta. Faça-as em formatos diferentes, redondos, triângulos...

*COLOCANDO EM PRATICA:
dê algo para ‘fazerem’ dê acordo com o que aprenderam. Por exemplo: quando ensinei sobre evangelismo, fiz um cartaz sobre o assunto, colei fig. Mostrando formas de evangelizar, e dei a eles folhetos de evangelismo infantil (existe há muito tempo e eu nem sabia, você pode criar até um carimbo p/ eles mesmos carimbarem) ou cartões mig-meg convite. Isso os deixou muito motivados!
Evangelizaram mesmo! trouxeram muitas pessoas, e me contaram tudo que aconteceu... (mas lembre-se de insistir que não conversem nunca com estranhos sem a presença de seus pais ou responsáveis! o mundo é perigoso, é preciso vigiar!)
Diga para convidarem seus amiguinhos da vizinhança, da escola, seus primos, pais,  avós, tios...e estranhos só quando acompanhados por responsáveis.
O método mais eficaz de evangelizar crianças é deixando a própria criança fazer isso, ninguém traz mais crianças pra igreja que a própria criança... (eu confirmei isso)
Bom, continuando, quando falar de intercessão, ensine-as deixando fazerem pedidos por algo ou alguém e orem com os pedidos.
...Procure dar alguma coisa para elas fazerem de acordo com aquilo que você ensinou...

*MURAL :
 faça murais junto com eles, escolha um tema, por exemplo: tipos de oração. Em cima a frase:
-‘quero te ver na igreja’ ensine sobre intercessão e eles desenham alguém que gostariam que se convertesse.
-‘Deus me perdoe por... ’ Ensine sobre arrependimento e eles fazem um envelope, decoram com recortes, lantejoula, etc. depois escrevem dentro pelo que pedem perdão e fecham o envelope, só à tia vai ler. Cada um cola o seu no mural...
-‘agradeço a Deus por... ’Ensine sobre agradecimento, eles fazem desenhos, colam no mural e depois todos o decoram, os meninos fazem joaninhas, as meninas flores e borboletas e juntos todos vão trabalhando e dando suas idéias.(existem mais tipos de oração e uma 
infinidade de temas...)
Fonte:http://www.idagospel.com

 
Template designed using CRIANDO LAYOUTS